Archive | novembro 2012

O jardim sustentável, na fala de Marina Silva

Image

Assisti hoje a fala da senadora Marina Silva no Fórum Cristão de Profissionais, na IBAB. Num resumo inocente, segue o que ela expôs sobre o tema ‘Fé e sustentabilidade’:

A sociedade está imersa numa CRISE formada por múltiplas crises, dentre elas a crise POLÍTICA e a crise de VALORES são a base negativa. Por valores distorcidos o homem tem destruído o legado de milênios pra se beneficiar por algumas décadas, vivendo num sistema insustentável. 

Salomão pontua em Eclesiastes 4:6 o que é um claro conceito de sistema sustentável: “Melhor ter pouco em uma das mãos, com paz de espírito, do que estar sempre com as duas mãos cheias de trabalho, tentando pegar o vento.”

Ainda na Bíblia, quando no deserto, Moisés e o povo hebreu recebiam de Deus o maná, que caia do céu conforme a necessidade deles. Marx popularizou a frase de mesmo sentido: “a cada qual segundo suas necessidades” teorizando uma sociedade comunista sustentável. Para Marina, essa é a essência de um modelo sustentável, uma sociedade que supra a necessidade de todos fazendo uso inteligente dos recursos que tem.

No jardim, Deus deu a Adão DOMÍNIO sobre toda a criação, mas também pediu para MANTER e GUARDAR. As coisas precisam continuar funcionando com esse equilíbrio.

Finalizando ela diz que esse modelo (político, econômico, social) sustentável ainda não existe, e isso não o impede de existir, uma vez que temos a capacidade de acreditar criando. Porém, o modelo só existirá se houver um esforço coletivo. A situação é urgente e pede uma resposta urgente de todas as esferas, e isso, claro, inclui a igreja. Como comunidade influenciadora temos o dever de levar a sério essa questão.

A fala dela é relevante, erudita e altamente inspiradora. Se houver outra exposição dela em SP, vale a pena participar!

– postado por Rods

Uma nova forma de ser humano

“Quanto mais deixamos que Deus assuma o controle sobre nós,
mais autênticos nos tornamos – pois foi Ele quem nos fez.

Ele inventou todas as diferentes pessoas que eu e você tencionávamos ser (…)
É quando me viro para Cristo e me rendo à Sua personalidade que pela primeira vez começo a ter minha própria e real personalidade.” C.S. Lewis

Quando penso nessa frase de Lewis encontro a complexidade nesse se render. Somos sujeitos a inflexibilidade do nosso caráter, sabemos que a mudança é difícil nos outros mas quando se trata de mudar nossa vida, nossos conceitos e qualquer tipo de mudança que inclua a nossa pessoa (individualmente) nos tornamos inflexíveis, imóveis como uma grande pedra.

Ao pensar na palavra “render” temos como vista se desfazer das nossas vontades, mas se fosse só das vontades seria fácil, posso sobreviver sem uma noite de álcool, posso sobreviver sem essa vontade de agredir ao meu irmão. Mas o que Lewis propõe não é algo novo ou diferente do que o próprio Cristo nos desafia a fazer, mesmo conhecendo nossas possíveis dificuldades em aceitar se render ao que o próprio Deus nos criou para sermos.

Um exemplo partindo de Jesus com relação a essa ideia de mudança de “vida”, o que implicaria no resultado de se inclinar para o que o Criador planejou na criação, esta em Mateus 4:19, quando Jesus diz que fará dos irmãos pescadores de peixes outro tipo de pescadores, pescadores de homens. Nós nos deparamos diariamente, a cada segundo, com essa oferta de Jesus “vou transformar você em algo diferente, que você nem mesmo espera, é só me seguir”. Analisando esse acontecimento temos Pedro, pescador, provavelmente uma profissão que aprendeu com o pai, acostumado com o cheiro do peixe e do mar, toda forma de pensar usada para a pesca, na cabeça de um pescador passa a ideia, nasci para pescar e o mar é o meu lugar. Então alguém aparece e propõe algo que ira lhe tirar a única coisa que ele sabe que nasceu pra fazer e a resposta lógica é “não”, mas encontramos totalmente o oposto no versículo 20 temos a seguinte ação “imediatamente eles deixaram as redes, e o seguiram”.

A palavra ‘imediatamente’ é incrível nessa frase, eles não parecem pensar duas vezes ao ouvir o chamado de Jesus, é um simplesmente “larguei o que acreditava ser para me tornar o que realmente nasci para ser”. Vai além de deixar de fazer coisas que dizem que é errado (as vezes você nem sabe porque é errado), vai além de frequentar a igreja todo domingo ou todo dia (pior que as vezes você também não sabe o porque), vai além de seguir algumas regras… é uma mudança completa, é realmente matar o velho homem, para que um novo homem apareça.

Deixe o Deus da redenção, quebrar a sua rotina. Ele tem uma nova forma de ser humano.

-Postado por Thiago