o Face é nóis!

Hey,
Curte a página do grupo de jovens da nossa Quadrangular de São João Clímaco lá no facebook!

> Clique aqui pra ir para página <

(em breve vai rolar uma página pro garagem também)

 

😉

 

 

Anúncios

Brasil & Chile – Lição de relacionamento

Acho que foi o John Burke, no “Proibida a entrada de pessoas perfeitas”,  que levantou a questão: porque Jesus veio numa época de comunicação tão escassa? Se ele viesse hoje, sua mensagem chegaria no mundo todo em segundos, certo? Mas ele concluiu que Deus quis assim, que a mensagem fosse compartilhada na conversa, no relacionamento. Eu poderia escrever um JESUS TE AMA aqui em letras garrafais, e talvez alguém leia e pense nisso por alguns segundos, mas nem de longe teria a mesma relevância do conselho de um amigo ou do abraço de um brother. E isso eu senti e compreendi de verdade numa experiência que tive esse fim de ano no Chile.

Vista incrível da cordilheira durante o vôo

Doze brasileirinhos pegaram suas férias, um avião e um ônibus e  desembarcaram em La Serena, litoral do Chile, prum trampo missionário com esportes e artes. ESPORTES!  Quatro vezes por semana, aulas de futebol, basquete, vôlei, skate, dança e música. A prefeitura construiu um parque esportivo irado lá, e pouco se usava, até que os missionários José e Greg da Fuego Urbano começaram a promover as aulas, e deu bem certo.

Todo dia a gente jogava com crianças e adolescentes, vários hermanitos y hermanitas, carentes ou não, carinhosos pra caramba, foram muito receptivos. A maioria de nós embromava no portunhol , mas dava pra levar altas conversas. E nessa de jogar junto, brincar, conversar, você vai criando um laço sincerão e você enxerga neles respeito e confiança. No fim de cada aula a gente fazia uma devocional rápida,  e eles recebiam aquela palavra, rindo, agitados ainda pela aula, mas você sabia que eles escutavam, não era um estranho falando, não era uma frase solta, era um brother te dando um toque.

Brasileños y chileños na aula de skate

E nessa de fazer amizade eles nos chamavam pra visitar sua casa, jogar vídeo game, comer, comer e comer, hahaha, comem muito. A gente conheceu mais de perto duas famílias, e em uma dessas casas a mãe se emocionou com algumas lembranças e recebeu, sem ser evangélica, nossa oração, nossa palavra, porque a gente tava se relacionando com seus filhos, de uma forma que ela pouco via naquele lugar.

Marcelo, Dani e os hermanitos que eles conheceram jogo ChileXParaguai

Igreja é isso, relacionamento. Missão é isso. É legal escrever Jesus te ama pra trazer o tema a tona, mas isso pede que sua vida seja um Jesus te ama ambulante, e eu to falando de amor, não de santidade.

O trabalho no Chile, além das aulas, abrangeu cadeias e uma creche, a gente fazia também um culto por semana com o pessoal da quadra. Esse vídeo resume um pouco o trampo lá:

 

Ficamos pouco menos de três semanas em La Serena, e fizemos amizades de verdade, dei uma pimpada de gringos no meu facebook 😉 e converso com eles sempre. Relacionamento. Mark Hall, líder da banda Casting Crowns, disse que O AMOR ABRE CAMINHO PARA VERDADE. É bem isso. Fazer o bem, não importa a quem, com amor, sem interesse, porque isso é Jesus te ama.

¡Saludos!

Saiba mais sobre o projeto Brasil – Chile

– postado por Rods

Eu abracei um homem de cueca

Agora a noite surgiu na minha timeline essa foto:

"desculpe-nos pela forma como a igreja tratou vcs"

e a legenda: Grupo de cristãos foi à parada gay com cartazes dizendo “desculpe-nos pela forma como a igreja tratou vcs”.
Eu pensei CARAMBA, ELES ESTÃO FAZENDO ISSO CERTO! A gente tá cansado de ver grupos cristãos extremistas lá fora protestando contra tudo (tipo Michael Jackson, Madonna e gays) com insultos grotescos muitas vezes, e isso toma a mídia que ganha mais um argumento pra moldar o cristão fanático e intolerante. E é, a igreja é muitas vezes fanática e intolerante, acho que por isso eu fiquei tão feliz com essa notícia aqui.

Em junho de 2011 rolou mais uma Chicago Pride Parade (tipo uma parada gay da gringa), e um grupo de cristãos colou lá com camisetas escritas “I’m sorry” e cartazes  “I’m sorry the way churches have treated you” (me desculpe pela forma como a igreja tem tratado vocês) e tiveram uma experiência de relacionamento com os participantes da parada, abraçaram geral, sorriram, fizeram algo muito mais “cristão” do que julgar e insultar. Nathan Albert (o gordinho abraçando o brother de cueca na foto) escreveu no seu blog sobre o trabalho realizado:

” Eu abracei um homem de cueca. E acho que Jesus faria o mesmo.
[…] nós queríamos ser uma voz cristã alternativa aos portestantes que estavam lá gritando “ódio” no megafone.
O que eu mais amei aquele dia foi quando as pessoas “entenderam”. Eu curti assistir a expressão das pessoas quando viam nossas camisetas, liam os cartazes e olhavam de volta pra gente. As respostas foram incríveis. Alguns nos mandavam beijos, outros vinham nos abraçar, outros gritavam OBRIGADO! Algumas garotas vieram e disseram que fomos a melhor coisa que elas viram durante o dia todo. Eu queria ter contado quantas pessoas me abraçaram. Um cara em particular disse suavemente: Bem, eu perdôo vocês.
Ver as pessoas reconhecendo nossas desculpas me fez chorar várias vezes. Aquilo era a personificação da reconciliação.

[…] infelizmente a maioria dos cristãos não pensariam nem se aquele cara dançando de cueca branca (foto) tem um nome. Bem, ele tem. Se chama Tristan. De qualquer forma, eu acho que Jesus o teria abraçado também. Isso é exatamente o que li nas escrituras: Jesus andando com pessoas que os religiosos fugiriam. Alguma relação entre aquela época e agora? Eu acho que sim.

Eu abracei um homem de cueca. Abracei forte. E tenho orgulho disso. “

Chega de pregar amor e praticar intolerância, chega de julgar julgar julgar antes de amar. Chega de se achar melhor. Passou da hora de sermos mais parecidos com Jesus.

Deixo aqui o meu abraço, esteja você vestido ou só de cuequinha branca 😉

 

– postado por Rods

Envolve-me

Olá hermanitos! Tudo em paz por ai? Espero que sim.

O caso é: dia 04 de fevereiro vai acontecer o congresso regional de Jovens, na Quadrangular de São João Clímaco (esse aí do cartaz), uma noite agradável, bem musicada.

O tema sanguinário, tem uma essência linda. Temos sobre a nossa vida o resultado da morte de Cristo na cruz. Cristo, o cordeiro inocente que escolheu morrer. Acho que foi o Jô Soares que disse uma vez, tentando explicar para crianças o que é amar, que Jesus Cristo poderia usar palavras mágicas e se salvar daquela cruz, mas Ele não usou, isso é amor. Meu, Ele não evitou nada, pelo contrário, Ele mergulhou fundo em tudo que foi preciso, pra nos deixar essa marca: liberdade, salvação, amor. Eu amo esse cara.

E nesse tema, os brothers da UP ( o que me inclui ) escreveram uma música. Vamos divulgar aqui no blog pra você, eu e todo mundo cantar junto lá no congresso, e adorar de coração ao cara dos caras, Jesus negão! Ou brancão, a gente não sabe.

Clica aqui pra ouvir ♪

Evolve-me
(UP)

Envolve-me com teu sangue
O Cordeiro mudo se entregou
A dor do mundo suportou por mim

Em vida quero dar-te o que tua morte fez por mim
Mas meu amor tão falho não demonstra, Cristo eu sei
Desesperado, caído, tua graça explode em mim

Envolve-me com teu sangue
O Cordeiro mudo se entregou
A dor do mundo suportou por mim

O Deus que feito homem me ensinou que eu posso ser
Santo como Ele é Santo, Forte como Ele é Forte
Sábio como Ele é Sábio em expressar o amor

Envolve-me com teu sangue
O Cordeiro mudo se entregou
A dor do mundo suportou por mim

– postado por Rods

A Canção do Começo

Hey!

Primeiro post, texto do Thiago Garcia pra começar bem cabeça, e aproveitar esse espaço pra pensar sobre a vida, sobre Deus, sobre as pessoas e sobre as relações de tudo isso. Declaro inaugurada a Garagem 720! 😉

_____________________________________________________________

 “No escuro, finalmente, alguma coisa começava a acontecer. Uma voz cantava. Muito longe. Nem mesmo era possível precisar a direção de onde vinha. Parecia vir de todas as direções, e Digory chegou a pensar que vinha do fundo da terra. Certas notas pareciam a voz da própria terra. O canto não tinha palavras. Nem chegava a ser um canto. De qualquer forma, era o mais belo som que ele já ouvira. Tão bonito que chegava a ser quase insuportável.” Crônicas de Nárnia – O sobrinho do mago (C.S.Lewis)

A descrição da criação de Nárnia começa com uma canção que vai tomando grandes proporções, outras vozes se misturam a canção principal e tudo vai se transformando em meio à escuridão, que se transforma em claridade, uma musica vai criando tudo. Aprendi que no estudo da linguagem, o som é o mais básico das linguagens, ele é praticamente uma qualidade, o começo de alguma coisa. E o escritor de Nárnia toma o som como ponta pé inicial na criação do seu universo.

O barulho de algo caindo no chão que perturba a todos em uma sala, por não saberem o que realmente caiu e o conforto logo após saber que foi apenas alguém que esbarrou e derrubou um pequeno vaso, insignificante para os reunidos no lugar até aquele momento, mas que teve em si a atenção de todos no lugar, esse é o efeito do som que conhecemos. Imagino todo o universo virando a sua atenção para um som que iria dar vida a algo “E disse Deus: Haja luz. E houve luz.” Genesis 1:3, a curiosidade brotando no universo, para onde aponta a voz do Criador? O que é aquilo que está criando forma? Até que “Viu Deus tudo o que tinha feito, e que era muito bom”, a criação havia finalmente terminado, estava mais que claro o que havia ocorrido.

O começo nem sempre é fácil (eu por sinal acho os começos bem mais difíceis, sempre crio um título ruim para as meus textos e nunca sei como começa-los), mas o começo está ligado com o criar mistério, prender a atenção e indicar o rumo que será tomado (não que ele não possa mudar no meio) seja nos livros, na música, na vida e em tantos outros inícios. Escolhi a musica para explicar inícios, meios e fins porque minha afinidade é maior com ela, acho que ela explica bem esse processo, escutamos as primeiras notas e viramos nossa atenção ao musico, o que ele está tocando? Qual musica nascerá? Que instrumente? É uma boa musica? Muitas perguntas podem nascer e só no decorrer da musica que algumas perguntas serão respondidas, e talvez nem todas. Ah, e a vida? É mais ou menos isso, temos o começo da canção que é nossa vida, outras vozes vão se misturando a nossa, no meio são necessárias algumas “viradas estratégicas da bateria”, em certos momentos são necessários “alguns solos de guitarra”, talvez algumas “notas soem erradas” (mas que isso não seja algo constante), mas o importante é deixar que o Musico conduza a musica, mesmo porque, qual a utilidade de um instrumento que não pode ser tocado? Deixe o Pai começar a tocar a melhor melodia em sua vida, para que se juntando a outras se torne uma bela harmonia, despertando outros e começando algo que nasça do coração de Deus, até o dia que ouviremos “Viu Deus tudo o que tinha feito, e que era muito bom”.